Casamento ao ar livre: 10 fatos que você precisa saber

Fazer um casamento ao ar livre é o sonho de muitos casais – afinal de contas, a natureza oferece cenários incríveis, que deixam a cerimônia ainda mais especial. 

Se você sonha em fazer um casamento no campo, cercado por muitas árvores, confira  estas dicas imperdíveis para não errar na organização do seu grande dia:

1. Descubra a melhor época do ano na sua cidade

Cada cidade se comporta de maneira diferente com relação às chuvas. Em BH, por exemplo, o período mais seco acontece entre abril e setembro. Dezembro e janeiro costumam ser os meses mais chuvosos. Por isso, é interessante analisar o clima da sua cidade e conversar com os donos de espaços para casamento ao ar livre para saber quais as datas menos chuvosas. 

Além disso, vale lembrar que o verão é um período bastante marcado pelos temporais de final de tarde – então é bom evitar o horário de final da tarde nesta época.

2. Plano B

Você escolheu a melhor época para casamento ao ar livre, mas nem por isso você está livre das chuvas – afinal de contas, é São Pedro que manda, não é mesmo? Por isso, é fundamental que o espaço para o seu casamento tenha um ambiente coberto que acomode todos os seus convidados para a realização das cerimônias – o famoso plano B. Alguns permitem que isso seja em um ambiente separado da festa (o que é ótimo), outros optam por fazer dentro da recepção o que também não tem problema – afinal quantas noivas não casam assim hoje em dia?

Também é importante conversar com seu cerimonial para que o plano B esteja pré-montado para que no caso de chuva de última hora seja fácil a mudança – que às vezes pode ser repentina. 

Caso chova no dia do seu casamento, não desanime e não se desespere! Sabemos que você sonhou em fazê-lo ao ar livre, mas o que mais importa no seu grande dia é estar com as pessoas que você ama! Mantenha seu coração aberto às possibilidades. Não se frustre com a possibilidade de chuva. A chuva é linda e muito importante também. Muitos dizem que representa prosperidade e riqueza. Tudo depende da maneira como você encara. Lembre-se do mais importante: o motivo pelo qual vocês decidiram fazer tudo isso – celebrar o amor de vocês dois! E pra isso não tem chuva que atrapalhe.

3. Horário da cerimônia

Você já definiu o dia mais propício e agora é importante pensar no horário da cerimônia. Afinal de contas, não é só a chuva que pode atrapalhar – o sol pode ser um vilão se estiver muito quente também. 

Para que o sol não incomode muito, o ideal é escolher para a cerimônia um horário mais ameno. Cerimônias pela manhã que se iniciem até às 11:00 ou após às 16:00 são mais agradáveis.

Além disso, o final de tarde é muito propício para fotografias – os fotógrafos costumam chamar de “Golden hour”, por conta dos raios de luz de tonalidade dourada que incidem neste horário.

4. O tamanho do gazebo

Casamentos ao ar livre geralmente têm a cerimônia realizada em gazebos. Antes de contratar o espaço para sua festa, é importante avaliar o tamanho do gazebo. 

O ideal é ter um espaço para o “altar”, que permita aos fotógrafos e cinegrafistas fazer seu trabalho com tranquilidade. Por isso, ele não pode ser muito pequeno. Às vezes, os gazebos não são grandes e as noivas colocam uma decoração que fecha ainda mais estes espaços (voil, plantas, velas, etc) – o que dificulta muito o trabalho.

Leia também: http://blog.vestidasdebranco.com.br/kit-banheiro-para-casamento/

5. Espaço para instrumentos musicais

Antes de escolher o espaço para casamento ao ar livre, é importante avaliar também se há um local protegido para abrigar os instrumentos musicais da cerimônia. Eles costumam sofrer muito com sereno, sol e outras variações de tempo. Alguns músicos chegam até a colocar em contrato que não podem tocar caso não haja proteção contra chuva no local, por exemplo. Por isso, é bom verificar este item e, se necessário, alugar uma tenda para os músicos.

6. Crie um mistério

Quando a cerimônia acontece em uma igreja ou salão, é normal que haja um certo mistério na entrada da noiva, por conta das portas. Por que não recriar este mistério no casamento no campo?

7. Cuidados com os convidados

Em um casamento ao ar livre, há grandes chances de ter sol e calor. Por isso, é muito delicado oferecer aos convidados água, repelente, protetor solar e leques. 

Para os mais velhos, almofadinhas quando os bancos são de madeira, por exemplo é um mimo. Um local de espera com sombra é ótimo também.
Caso caiba dentro do seu orçamento, vale apostar em ombrelones também para o conforto dos convidados. Lembre-se que pode ter alguém que não pode ficar exposto ao sol e nem por isso quer perder a cerimônia.

8. Maior liberdade no cortejo

Uma das vantagens de quem casa ao ar livre é com relação ao cortejo. As entradas podem ser como no casamento tradicional: padrinhos, pais trocados, noivo com mãe, crianças e noiva com pai. Mas também podemos acrescentar outras entradas especiais, que muitas vezes as igrejas não permitem, como: entrada das alianças no meio da cerimônia, amigas como damas adultas além das crianças, número maior de casais de padrinhos, até animais de estimação.

9. Aceita todas as religiões

O casamento ao ar livre é  um pouco menos tradicional do que uma cerimônia numa igreja. Começando pelo celebrante que pode ser um pastor, juiz de paz, e às vezes até um amigo. Tudo depende do que vocês planejaram. Muitos noivos optam por uma cerimônia ecumênica por serem de religiões diferentes e a cerimônia ao ar livre se encaixa perfeitamente neste caso.

No entanto, vale lembrar que a Igreja Católica não permite que os padres se desloquem para celebrar casamentos em outros locais. Por isso, se vocês forem católicos, uma opção é fazer uma benção na igreja e uma cerimônia ecumênica ao ar livre.

10. Casamentos ao ar livre são mais caros que os “tradicionais”?

Não necessariamente. Tudo depende do que optar na decoração para a cerimônia, o que o local escolhido para a festa oferece e o que é preciso locar por fora para montar o casamento.

Maíse Góis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo